Sábado, 5 de Maio de 2007

Impressões sobre família, vida e morte

Peço desculpa a quem ler este artigo pelo seu tom um pouco melancólico, mas é assim que me sinto hoje.

Tenho uma família pequena. Filha única, neta única pela parte materna, tenho 2 tios direitos e 4 primos que raramente vejo. Por muito que os laços afectivos me unam a estes familiares, exceptuando a minha prima, a minha família mais próxima além de pais e avós maternos, foi aquela que tive a sorte de a vida me dar a conhecer. Calhou um primo da minha mãe ser criado pela minha avó para fazer as vezes de irmão mais velho e ao lado da minha avó morar uma família com quem sempre tivémos excelentes relações. Zete, a mãe, foi uma avó para mim, Nela, a filha mais velha cuidou de mim quando era pequenina e tenho por ela uma ternura que sou incapaz de descrever e a filha mais nova é a minha madrinha.

A morte da Zete foi muito penosa para mim. Ela foi morrendo aos poucos, nos últimos anos já não me conhecia, repetia-se, dava-me outros nomes, mas conservava o mesmo sorriso. Quando me lembro dela é desse sorriso.

Hoje fui ao funeral do marido da Nela. Ele vivia na Alemanha, vinha cá só de vez em quando visitar a mulher. Era um homem alegre, brincalhão que me ofereceu os melhores brinquedos que tive na infância, que me proporcionou uma viagem de descapotável, que me fazia rir. O que mais custou nesta morte súbita foi a minha incapacidade para consolar a Nela. O que dizer? O que fazer? Custa tanto ver alguém de quem gostamos a sofrer. Resta-nos dar um abraço e um beijo e mais nada...

Hoje não consegui de deixar de pensar nos meus mortos. Em especial nos meus avós paternos que não pude conhecer como gostaria e na Zete. Como dizia alguém "Recordar é viver" e lembrar-me deles é a melhor homenagem que lhes posso fazer. De cada um guardo uma memória especial: as palavras da minha avó quando numa tarde de sábado esteve a ver comigo um filme e gostou, o olhar peculiar do meu avô e a última vez que o vi, o sorriso da Zete.

Além de tudo isto, não me largou o resto do dia as palavras do padre na cerimónia: "Só temos esta vida". Quando nos lembram isso e, em momentos como este, reconhecemos como somos pequenos e frágeis e como desperdiçamos o nosso tempo de maneiras tão fúteis, como é uma perda de tempo chatearmo-nos com as pessoas por coisas pequenas, como temos tantas vezes as prioridades viradas do avesso.

E por isto tudo, hoje andei zangada comigo própria por andar a desperdiçar a vida e não a fazer aquilo que queria e deveria, por não aproveitar mais o tempo para estar com aqueles de quem gosto e mostrar-lhes o quanto os amo.

A morte faz parte da vida. E de uma forma ou doutra, e de formas que não quero hoje aqui confessar, os meus mortos têm-me dado vida, embora preferisse ainda tê-los aqui comigo, tal como preferia morrer primeiro para não ficar sem aqueles que fazem hoje parte da minha vida, mas não sou eu quem decide, por isso resta-me continuar a gozar todos os momentos em que estamos juntos e esforçar-me por aproveitar bem a vida. Afinal só tenho esta vida.

 

publicado por impressoesdigitais às 23:05
link do post | comentar | favorito
|

Impressões

anonimacto

aveiro

avó

comédia da vida

dúvidas e mudanças

episódios

famílias de hoje

felinas

grandes portugueses

impressões poéticas

mercado negro

natal

novas oportunidades

novo ciclo

poesia

poéticas

prémios

referendo

reflexões

teatro

televisão

viagens

todas as tags

Patrocínio

Agosto 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Impressões sobre casament...

Impressões sobre casament...

Impressões sobre um selo

Impressões sobre mudanças...

Impressões sobre 2008

Impressões natalícias

Impressões sobre outra ma...

Impressões sobre novos de...

Impressões teatrais

Impressões sobre "A Coméd...

links

Impressões solidárias

Carolina

arquivos

Agosto 2010

Dezembro 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Runas
blogs SAPO

subscrever feeds